Casos especiais de concordância nominal

Home / Gramática / Sintaxe / Casos especiais de concordância nominal

A concordância nominal apresenta uma regra geral e vários casos especiais. Conhecê-los é indispensável!

Curtidas 0

0

Compartilhe

 Você sabe o que é concordância?

Chamamos de concordância o princípio sintático segundo o qual, na frase, as palavras determinantes adaptam-se às palavras das quais dependem. Isso significa que os nomes e os verbos de uma oração devem concordar com os demais termos, caso contrário, a concordância ficará prejudicada. Entender esse princípio é indispensável para quem deseja produzir textos que estejam devidamente adequados à norma-padrão da língua portuguesa.

A concordância pode ser de dois tipos: concordância nominal e concordância verbal. Hoje nos dedicaremos à análise da concordância nominal e seus casos especiais. Fique atento à explicação, boa leitura e bons estudos!

Concordância nominal:

Chamamos de concordância nominal a adequação entre o gênero e o número de um substantivo com as flexões correspondentes de seus modificadores. Em regra geral, o adjetivo e as palavras adjetivas devem concordar em gênero e número com o nome a que se referem:

mulher bonita – homem bonito

mulheres bonitas – homens bonitos

Contudo, existem os casos especiais de concordância nominal, ou seja, casos particulares aos quais devemos estar sempre atentos. São eles:

1. Se na oração houver mais de um substantivo e se eles estiverem no singular e forem do mesmo gênero, o adjetivo, exercendo função de adjunto adnominal, poderá ficar no singular ou irá para o plural:

Marcelo agiu com paciência e coragem admirável.

Marcelo agiu como paciência e coragem admiráveis.

2. Quando os substantivos estiverem no singular e pertencerem a diferentes gêneros, o adjetivo deverá concordar com o mais próximo ou ir para o masculino plural:

Ele vestia casaco e calça vermelha.

Ele vestia casaco e calça vermelhos.

3. Quando os substantivos estiverem no plural e forem de gêneros diferentes, o adjetivo, quando desempenhar o papel de adjunto adnominal, deverá concordar com o mais próximo ou ir para o masculino plural:

Fomos a um antiquário e vimos objetos e pinturas antigas.

Fomos a um antiquário e vimos objetos e pinturas antigos.

4. Quando os substantivos pertencerem a gênero e número diferentes, o adjetivo, exercendo o papel de adjunto adnominal, deverá concordar com o mais próximo ou ir para o masculino plural:

Interesso-me pelo cinema e pelas tradições francesas.

Interesso-me pelo cinema e pelas tradições franceses.

Interesso-me pelas tradições e pelo cinema francês.

5. Quando, ao exercer a função de adjunto adnominal, o adjetivo estiver anteposto a dois ou mais substantivos, ele deverá concordar com o mais próximo:

Víamos estranhos homens e mulheres.

Víamos estranhas mulheres e homens.

6. Quando o adjetivo exercer a função de predicativo do sujeito, ele deverá concordar com todos os elementos do sujeito:

A cozinha e os banheiros estavam sujos.
    ↓                      ↓                      ↓
                          sujeito      verbo de ligação            predicativo do sujeito

7. Quando o adjetivo exercer a função de predicativo do objeto, ele deverá concordar em gênero e número com o núcleo do objeto. Se houver dois ou mais núcleos de gêneros diferentes, ele deve ir para o masculino plural:

Vimos as portas e o carro destruídos.
↓                  ↓                    ↓

                 VTD                    OD         predicativo do objeto

Vimos destruídos as portas e o carro.
↓           ↓                    ↓
          
VTD  predicativo do objeto  OD            

8. As expressões um e outro e nem um e nem outro deixam o substantivo no singular, mas o adjetivo deve ir para o plural:

Abordamos um e outro caso inacreditáveis.

Não encontramos nem um nem outro diretor reeleitos.

9. Quando houver na oração numerais ordinais, o substantivo pode ficar tanto no singular quanto no plural, contanto que todos os numerais estejam antecedidos de artigo:

Perdi a primeira e a segunda sessão.

Perdi a primeira e a segunda sessões.

10. Mesmo, próprio, quite, leso, incluso, anexo, obrigado, entre outros, devem concordar normalmente com a palavra a que fazem referência:

Ele mesmo disse isso.

Eles mesmos disseram isso.

Ela mesma disse isso.

Elas mesmas disseram isso.

11. Palavras como bastante, meio, caro, barato e sofrem variação quando têm valor de adjetivo:

Havia bastante gente no supermercado.

Tenho bastantes discos de vinil.

Tomei meia taça de vinho.

Tomei várias meias taças de vinho.

Ela sempre gostou de sapatos caros.

Ela nunca gostou de roupas baratas.

Meus primos sempre moraram sós.

12. Quando estiverem antepostos a vários adjetivos, os substantivos admitem três construções:

Estudo as culturas angolana e portuguesa.

Estudo a cultura angolana e a portuguesa.

Estudo a cultura angolana e brasileira.

13. O adjetivo permanecerá invariável quando o sujeito não for determinado por artigo ou por pronome demonstrativo:

Pizza é gostoso.

Dieta é bom para emagrecer.

É proibido entrada.

Caso o sujeito for determinado por artigo ou pronome demonstrativo, a concordância deverá ser feita normalmente:

A pizza daquele restaurante é gostosa.

A dieta dos pontos é boa para emagrecer.

É proibida a entrada de menores de dezoito anos.

14. As palavras pseudo, alerta, monstro e menos são invariáveis:

Aqueles voluntários são pseudocaridosos.

Para evitar assaltos, é preciso estar sempre alerta.

Houve manifestações monstro em frente ao Congresso Nacional.

Os brasileiros ganharam menos medalhas que os cubanos.

15. Quando houver um adjetivo composto, somente o último elemento sofrerá flexão, tanto de gênero quanto de número:

Meus avós são franco-brasileiros.

As guerras greco-romanas marcaram a civilização ocidental.

Em São Paulo, há várias comunidades nipo-brasileiras.

16. Palavras que indicam cor

a) Geralmente, deverão concordar em gênero e número com o substantivo a que se referem quando desempenhar função de adjetivo:

Ficou com os olhos vermelhos de tanto chorar.

Nuvens negras cobriam a cidade.

Estas bananas ainda estão verdes.

b) Quando a palavra que indica cor derivar de um substantivo, deverá permanecer invariável:

Comprei duas blusas rosa.

Alice gostava de vestidos violeta.

c) Quando for um nome composto e o segundo termo for um substantivo, ficará invariável:

Ela comprou cortinas amarelo-ouro para a sala.

Carlos está vestindo uma camisa verde-bandeira.

d) Quando os termos “claro” e “escuro” indicarem tonalidade da cor, somente eles sofrerão flexão:

O rapaz tem belos olhos azul-claros.

Quero aquelas saias verde-escuras que vi na vitrine.

e) Azul-marinho e azul-celeste são sempre invariáveis:

A empresa comprou uniformes azul-marinho para os funcionários.

Ele gosta de camisas azul-celeste.

Artigos Relacionados