Conjugações verbais – casos que merecem destaque – Parte II

Home / Gramática / Morfologia / Conjugações verbais – casos que merecem destaque – Parte II

Curtidas 0

Compartilhe

Ao nos atermos ao sentido expresso pela palavra “conjugar”, de imediato devemos compreender que se trata das muitas formas que o verbo pode assumir no momento em que é conjugado. Estas formas dizem respeito às chamadas flexões, estando estas submetidas a um modelo convencional denominado de paradigma – indicando que as formas verbais obedecem a um padrão regular, ou seja, sem apresentar alterações no radical, denominadas de regulares.

Contudo, há também aquelas formas que fogem a este convencionalismo, resultando daí nas várias classificações a que os verbos pertencem. Desta forma, podem ser considerados como irregulares, anômalos, defectivos e abundantes, cada qual assumindo características próprias.

Assim sendo, estarmos cientes do modo como estas características se revelam é sinal de nossa competência linguística. Para tanto, no intuito de aperfeiçoá-la cada vez mais, priorizaremos algumas conjugações, as quais merecem total atenção de nossa parte, levando-se em conta todos os mecanismos da relação existente entre os tempos primitivos e derivados. Neste sentido, enfatizaremos todos os verbos que representam a ocorrência em destaque, porém, conjugaremos apenas alguns deles.

Entre eles destacamos:

Verbos condizentes à primeira conjugação:

*nomear e seus derivados, tais como: apear, atear, cear, folhear frear, passear, bloquear, hastear, lisonjear, estrar, arrear, semear, vadear, etc. - variam no radical, recebendo, nas formas rizotônicas, o “i” depois da vogal.

Modo indicativo (verbo nomear)

Presente – nomeio, nomeias, nomeia, nomeamos, nomeais, nomeiam.
Pretérito prefeito – nomeei, nomeaste, nomeou, nomeamos, nomeastes, nomearam.
Pretérito imperfeito – nomeava, nomeavas, nomeava, nomeávamos, nomeáveis, nomearam.
Pretérito mais-que-perfeito - nomeara, nomearas, nomeara, nomeáramos, nomeáreis, nomearam.
Futuro do presente: nomearei, nomearás, nomeará, nomearemos, nomeareis, nomearão.
Futuro do pretérito: nomearia, nomearias, nomearia, nomearíamos, nomearíeis, nomeariam.

Subjuntivo

Presente – nomeie, nomeies, nomeie, nomeemos, nomeeis, nomeiem.
Pretérito imperfeito – nomeasse, nomeasses, nomeasse, nomeássemos, nomeásseis, nomeassem.
Futuro – nomear, nomeares, nomear, nomearmos, nomeardes, nomearem.

Imperativo

Afirmativo – nomeia, nomeie, nomeemos, nomeai, nomeem.
Negativo – não nomeies, não nomeie, não nomeemos, não nomeeis, não nomeiem.

Infinitivo pessoal – nomear, nomeares, nomear, nomearmos, nomeardes, nomearem.

Gerúndio – nomeando

Particípio – nomeado

* variar, mediar, ansiar, remediar, incendiar, odiar- Sendo que os quatro últimos recebem a intercalação da vogal “e” nas formas rizotônicas.

* mobiliar – uma vez que é regular na escrita e irregular na pronúncia, pois dos verbos terminados em “-iliar” é o único em que o primeiro “i” é tônico nas formas rizotônicas. Este verbo também admite a forma mobilhar.

* voar, magoar, soar, abotoar, abençoar, perdoar.

* averiguar, apaziguar – No presente do indicativo e subjuntivo e nos dois imperativos o “u” tônico aparece assinalado.

* dar, desdar (desatar nó), redar e saudar, sendo que neste último o “u” tônico recebe acento agudo.


* Verbos pertencentes à segunda conjugação:


* dizer, bendizer, condizer, contradizer, desdizer, entredizer, maldizer, predizer, redizer – a segunda pessoa do singular do imperativo admite duas formas, como, por exemplo: dize e diz.

* jazer – este é irregular só na terceira pessoa do singular do presente do indicativo, uma vez que não apresenta a desinência “-e”. A segunda pessoa do imperativo apresenta duas formas: jaze e jaz.

* trazer – a segunda pessoa do singular do imperativo afirmativo apresenta duas formas: traze e traz.

*caber – por sua significação não apresenta formas no imperativo.
crer, descrer, ler – na primeira pessoa do singular do presente do indicativo introduz-se a vogal “i” depois da letra “e” do radical.

*moer, esmoer (mastigar), corroer, remoer, roer - verbos que perderam o acento depois da reforma ortográfica. Por exemplo: moo, corroo, roo.

*perder, cujo radical “perd” muda para “perc” na primeira pessoa do singular do presente do indicativo e nas formas dela derivadas.


Modo indicativo (verbo perder)

Presente – perco, perdes, perde, perdemos, perdeis, perdem.
Pretérito perfeito – perdi, perdeste, perdeu, perdemos, perdestes, perderam.
Pretérito imperfeito – perdia, perdias, perdia, perdíamos, perdíeis, perdiam.
Pretérito mais-que-perfeito – perdera, perderas, perdera, perdêramos, perdêreis perderam.
Futuro do presente – perderei, perderás, perderá, perderemos, perdereis, perderão.
Futuro do pretérito – perderia, perderias, perderia, perderíamos, perderíeis, perderiam.

Subjuntivo

Presente – perca, percas, perca, percamos, percais, percam.
Pretérito imperfeito – perdesse, perdesses, perdesse, perdêssemos, perdêsseis, perdessem.
Futuro – perder, perderes, perder, perdermos, perderdes, perderem.

Imperativo

Afirmativo – perde, perca, percamos, perdei, percam.
Negativo – não percas, não perca, não percamos, não percais, não percam.

Infinitivo pessoal – perder, perderes, perder, perdermos, perderdes, perderem.

Gerúndio – perdendo

Particípio – perdido

*poder – Em virtude de seu significado, não possui os dois imperativos.

* querer, bem-querer, desquerer e malquerer.

* requerer – não se conjuga como o verbo querer, uma vez que a segunda pessoa do singular do imperativo afirmativo apresenta duas formas: requer e requere.

*valer, desvaler e equivaler – neles a irregularidade se encontra manifestada na 1ª pessoa do singular do indicativo e nas formas dela derivadas (valho, valha).

* Pôr – Este verbo perdeu a vogal temática “e” a qual figurava na forma arcaica representada por “poer”, razão pela qual pertence à segunda conjugação. Semelhantemente a ele também se conjugam todos seus derivados: antepor, apor, compor, contrapor, decompor, dispor, expor, justapor, propor, repor, sobrepor.


Verbos pertencentes à terceira conjugação:

* cair, abstrair, decair, distrair, sair, sobressair.

* cobrir, descobrir, encobrir, dormir, engolir e tossir - Tais verbos trocam a letra “o” por “u” na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo e nas formas dela derivadas (cubro, cubra).

* mentir, consentir, desmentir, ressentir e sentir – estes verbos trocam o “e” pelo “i” na 1ª pessoa do presente do indicativo e nas formas dela derivadas.

* polir, sortir – estes verbos são irregulares apenas no presente do indicativo e subjuntivo e nos dois imperativos, em cujas formas rizotônicas a letra “o” do radical muda para “u”.

* ir - verbo em que os dois presentes e os dois imperativos apresentam a mesma forma para a 1ª pessoa do plural (vamos) e para a 3ª pessoa do plural (vamos).


Modo indicativo (verbo ir)

Presente: vou, vais, vai, vamos, ides, vão.
Pretérito perfeito – fui, foste, foi, fomos, fostes, foram.
Pretérito imperfeito – ia, ias, ia, íamos, íeis, iam.
Pretérito mais-que-perfeito - fora, foras, fora, fôramos, fôreis, foram
Futuro do presente – serei, serás, será, seremos, sereis, serão.
Futuro do pretérito – seria, serias, seria, seríamos, seríeis, seriam.

Subjuntivo

Presente – vá, vás, vá, vá, vamos, vades, vão.
Pretérito imperfeito – fosse, fosses, fosse, fôssemos, fôsseis, fossem.
Futuro – for, fores, for, formos, fordes, forem

Imperativo

Afirmativo – vai, vá, vamos, ide, vão
Negativo – não vás, não vá, não vamos, não vades, não vão

Infinitivo pessoal – ir, ires, ir, irmos, irdes, irem

Gerúndio – indo

Particípio – ido

* ouvir, pedir, desimpedir, expedir, impedir, medir – Estes verbos trocam a consoante do radical para “ç” na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo e nas formas dela derivadas (ouço, ouça, meço, meça).

* aderir, advertir, despir, digerir, divergir, ingerir, prosseguir, entre outros. Nesses, a vogal “e” do radical altera-se para “i” na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo e nas formas dela derivadas.

*bulir, acudir, consumir, cuspir, fugir, sacudir, subir e sumir – Neles, a letra “u” do radical altera-se para “o” (representado por um som aberto) na 2ª e 3ª pessoa do singular e na 3ª do plural do presente do indicativo (boles, bole, bolem). Algo semelhante ocorre com a 2ª pessoa do singular do imperativo afirmativo.

Voltar ao topo