Crase antes de pronomes

Home / Gramática / Sintaxe / Crase antes de pronomes

Crase não é o nome do acento, e sim o nome do fenômeno que indica a contração de duas vogais idênticas.

Curtidas 0

0

Compartilhe

Crase. Aposto que só de ouvir ou ler essa palavra você já faz cara feia, não é mesmo? A crase está entre os fenômenos da língua portuguesa que mais geram dúvidas entre os falantes, dúvidas que, acredite, podem ser facilmente resolvidas. Melhor do que decorar quando o uso da crase será obrigatório, proibido ou facultativo, é entender as situações de uso nas quais o fenômeno está envolvido, e é por isso que o sítio de Português trouxe mais uma superdica da língua portuguesa que vai ajudá-lo(a) a eliminar quaisquer dúvidas sobre o uso do acento grave. Vamos lá? Boa leitura e bons estudos!

Que tal aprender um pouco mais sobre a crase?

A palavra crase tem origem na Grécia e significa mistura ou fusão. Na língua portuguesa, a crase indica a contração de duas vogais idênticas, mais precisamente, a fusão da preposição a com o artigo feminino a ou com o a do início dos pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s) e aquilo. Sempre que houver a fusão desses elementos, o fenômeno será indicado pela presença do acento grave, também chamado de acento indicador de crase. Portanto, não é o acento (`) que se chama crase, mas o fenômeno que suprime o som de dois “as”.

A crase antes de pronomes: um caso específico

1ª Dúvida: Existe crase antes de pronomes de tratamento?

Essa é uma dúvida simples. No caso dos pronomes de tratamento, vê-se com facilidade que eles não são precedidos de artigo feminino, afinal de contas, ninguém diz A Sua Excelência, a presidenta, viajará em comitiva para a China, mas, sim, Sua Excelência, a presidenta, viajará em comitiva para a China, sem o artigo. Portanto, os pronomes de tratamento não admitem crase antes de si.

OBS.: Os únicos pronomes de tratamento que admitem crase antes de si são senhora e senhorita . Observe:

Dirijo-me à senhora com todo respeito.

Eu disse à senhorita que não me ligasse mais.

2ª Dúvida: Existe crase antes de pronomes pessoais?

Atenção: Antes dos pronomes pessoais, como eu, tu, ele, ela, nós, vós, mim (pronome pessoal oblíquo) etc., não ocorre crase, já que não são antecedidos de artigos. Nessas situações haverá apenas a preposição “a”. Observe:

Certo: Eu pedi a ela que me esperasse para irmos embora juntos.

Errado: Eu pedi à ela que me esperasse para irmos embora juntos.

Certo: Deu livros a mim.

Errado: Deu livros à mim.

3ª Dúvida: Existe crase antes de pronomes possessivos?

Para responder a essa dúvida, é preciso ficar atento às regras quanto ao uso do artigo diante de pronomes possessivos. Observe:

► Pronome possessivo adjetivo (aquele que acompanha um substantivo): Nessa situação, o uso do artigo é facultativo, ou seja, você poderá optar por usá-lo ou não usá-lo. Veja os exemplos:

Gosto de sua amiga. (preposição de sem o artigo a)

Gosto da sua amiga. (preposição de com o artigo a)

Gosto de suas amigas (preposição de sem o artigo as)

Gosto das suas amigas. (preposição de com o artigo as)

Nos exemplos acima, a preposição de foi empregada. Caso você use a preposição a, haverá a formação das seguintes construções:

Não obedeço a sua coordenadora. (com preposição a, mas sem o artigo a)

Não obedeço à sua coordenadora. (com a preposição a e com o artigo a)

Não obedeço a suas coordenadoras. (com preposição a, mas sem o artigo as)

Não obedeço às suas coordenadoras. (com a preposição a e com o artigo as)

Sendo assim, se houver a preposição a diante de um pronome possessivo adjetivo singular, o emprego do acento grave indicador de crase será facultativo. Se houver a preposição a diante de um pronome possessivo adjetivo plural, o emprego do acento grave indicador de crase só ocorrerá se houver as; caso o a aparecer no singular, haverá somente a preposição: a ou às.

Pronome possessivo substantivo (aquele que não acompanha um substantivo): O uso do artigo diante de um pronome possessivo substantivo é obrigatório. Observe os exemplos:

Não gosto de sua professora, mas da minha. (minha: pronome possessivo substantivo, portanto, o uso do artigo será obrigatório)

Não obedeço à sua coordenadora, mas à minha. (minha: pronome possessivo substantivo, o uso do artigo será obrigatório. Como há a preposição a, o acento indicador de crase também será obrigatório)

Artigos Relacionados