Cruzamentos sintáticos

Home / Gramática / Sintaxe / Cruzamentos sintáticos

Os cruzamentos sintáticos podem estar relacionados com a regência verbal e com a estrutura oracional, produzindo frases sintaticamente instáveis

Curtidas 0

0

Compartilhe

Observe as frases a seguir:

1) “Seu ponto de vista corrobora com o preconceito contra os negros.”

2) “Apesar de estar competindo, o maratonista não estava preocupado em vencer de ninguém.”

Você notou alguma coisa diferente na construção dessas frases? Você acha que elas estão sintaticamente corretas? Se a sua resposta for sim, certamente você precisa saber um pouco mais sobre um fenômeno curioso e corriqueiro da língua portuguesa chamado cruzamento sintático.

Os cruzamentos sintáticos surgem quando, a partir de duas formas ou estruturas semelhantes, cria-se uma terceira, que normalmente subverte as regras gramaticais. Os cruzamentos afetam a regência de determinados verbos e também a estruturação oracional. Observe alguns exemplos de cruzamentos sintáticos quanto à regência:

“O medo da repressão e da violência militar influenciava na vida das pessoas”.

Analisando a frase acima, observamos que o verbo “influenciar”, que é transitivo direto, teve seu complemento preposicionado em razão da contaminação com “influir”. Caso essa fosse a forma verbal, “o medo influi na vida das pessoas”, o emprego da preposição + artigo (na) estaria correto, mas não é o caso. A frase correta, seria, portanto:

O medo da repressão e da violência militar influenciava a vida das pessoas.”

O mesmo fenômeno aconteceu com as duas frases utilizadas no início do artigo:

1) “Seu ponto de vista corrobora com o preconceito contra os negros.”

Como o verbo “corroborar” é transitivo direto, ele dispensa o complemento introduzido pela preposição “com”. No entanto, o cruzamento sintático ocorreu em virtude da contaminação do verbo “concordar”, que exige a preposição “com”. A construção correta da frase é:

“Seu ponto de vista corrobora o preconceito contra os negros”.

2) “Apesar de estar competindo, o maratonista não estava preocupado em vencer de ninguém.”

O verbo “vencer” dispensa a preposição “de”, contudo, ele sofreu a contaminação do verbo “ganhar”, que, por ser transitivo indireto, exige o complemento introduzido pela preposição “de”. Corrigindo o cruzamento sintático:

“Apesar de estar competindo, o maratonista não estava preocupado em vencer ninguém”.

Observe agora um exemplo de cruzamento sintático quanto à estrutura oracional:

“As leis proíbem que menores de dezoito anos e mentalmente incapazes de responderem judicialmente por eventuais crimes cometidos”.

A construção da oração ficou estranha, não? Ela é fruto de uma estruturação equivocada que misturou duas possíveis construções: “As leis proíbem que menores de dezoito anos e mentalmente incapazes respondam judicialmente por eventuais crimes cometidos” e “As leis proíbem menores de dezoito anos e mentalmente incapazes de responderem por eventuais crimes cometidos”. Os cruzamentos decorrem da dificuldade em reger corretamente determinados verbos e são considerados um tipo de erro grave, já que desrespeitam a sintaxe da língua portuguesa. Quando a sintaxe é alterada, o entendimento da mensagem fica comprometido, portanto, fique atento à transitividade verbal e elimine de uma vez por todas os cruzamentos sintáticos!

Artigos Relacionados