Gerúndio e gerundismo

Home / Gramática / Morfologia / Gerúndio e gerundismo

É fundamental demarcarmos as diferenças entre o gerúndio e o gerundismo para diferenciar a forma nominal do verbo do vício de linguagem

Curtidas 0

Compartilhe

 Muito tem se falado sobre o gerundismo, mas pouca vezes lemos análises que consideram as diferenças entre gerúndio e gerundismo. Afinal, estamos colocando as duas definições em um mesmo balaio?

Infelizmente, sim. Muitas pessoas confundem gerúndio e gerundismo, e a forma nominal, que antes do modismo linguístico era apenas mais um elemento de nosso vernáculo, passou a ser vista com maus olhos. Algumas pessoas têm evitado o gerúndio por não saberem como usar adequadamente essa forma nominal. Para acabar de vez com essas dúvidas, observe as definições das palavras gerúndio e gerundismo e entenda a importância de se demarcar as devidas diferenças:

Gerúndio: palavra derivada do latim gerundium, é empregada para denominar uma forma nominal e invariável do verbo, podendo ter valor correspondente de um advérbio ou de um adjetivo. Sua principal característica é conferir ao verbo uma ideia de continuidade, ou seja, de uma ação que ainda está em andamento e que, por isso, não foi finalizada. Observe os exemplos de verbos no gerúndio:

As crianças estão brincando no parquinho.

Coincidentemente, estávamos falando sobre você!

Chorando, ele foi embora e não se despediu dos amigos.

Gerundismo: O gerundismo é considerado um vício de linguagem, um modismo que utiliza de maneira inadequada a forma nominal gerúndio. Na tentativa de reforçar uma ideia de continuidade de um verbo no futuro, acabamos complicando o que já é suficientemente complicado, e o que antes podia ser dito de maneira mais econômica e direta, foi substituído por uma intrincada estrutura que prefere utilizar três verbos a apenas um ou dois. Observe os exemplos de gerundismo:

A empresa vai estar entrando em contato para resolver o problema.

No próximo mês, João vai estar completando cinco anos.

Agora, veja a construção correta, aceita pela norma padrão da língua:

A empresa vai entrar em contato para resolver o problema.

Ou

A empresa entrará em contato para resolver o problema.

No próximo mês, João vai completar cinco anos.

Ou

No próximo mês, João completará cinco anos.

Nos casos apresentados, transformamos, desnecessariamente, um verbo conjugado em um gerúndio, aplicando aquilo que deve ser evitado, o gerundismo, que é, portanto, um excesso linguístico que deve ceder lugar para construções mais adequadas e simples. Vale ressaltar que o uso do gerúndio não deve ser abolido, mas sim o uso sistemático do gerundismo em construções que deveriam constar apenas de um único verbo ou de uma locução verbal sem um verbo no gerúndio. 

Artigos Relacionados