Hífen

Home / Gramática / Ortografia / Hífen

Os usos do hífen foram alterados no Novo Acordo Ortográfico. É preciso ficar atento para não errar no uso desse importante sinal gráfico

Curtidas 0

0

Compartilhe

Você já deve ter percebido que nossa querida língua portuguesa, apesar de bela e única, apresenta inúmeras especificidades que fazem dela uma língua completamente analítica. Diferentemente de muitos idiomas, o português apresenta vários sinais gráficos-, entre eles um sinal que é bastante comum, o famoso (e complicado!) hífen.

Mas você sabe dizer qual é a utilidade do hífen na língua portuguesa? Ora, se cada sinal apresenta sua função, não seria diferente com o hífen. Muitas pessoas apresentam dúvidas sobre como e quando usá-lo, sobretudo após a recente reforma ortográfica pela qual passou nosso idioma. Para ajudar você a sanar possíveis dificuldades, o sítio de Português preparou um guia prático e fácil sobre como usar o hífen. Bons estudos!

Por que, como e quando usar o hífen:

O hífen é um sinal gráfico complementar de união semântica utilizado nas seguintes situações:

 Em substantivos compostos: Segundo o Novo Acordo Ortográfico, o hífen, que é empregado na formação de substantivos compostos através de justaposição, será mantido nas palavras compostas por justaposição sem elementos de ligação. Observe os exemplos: Matéria-prima; guarda-chuva; quarta-feira;

Em palavras formadas por derivação prefixal: Conforme o Novo Acordo Ortográfico, o hífen deverá ser utilizado quando:

  • O segundo elemento iniciar com a letra “h”: Anti-higiênico; pré-história; super-homem;

  • O prefixo do primeiro elemento terminar com a mesma vogal que inicia o segundo: arqui-inimigo; auto-observação;

  • O prefixo do primeiro elemento for “circum” e “pan” e a primeira letra do segundo elemento for uma vogal ou as consoantes “h”, “m” ou “n”: pan-americano; circum-navegação;

  • O prefixo do primeiro elemento for “hiper”, “inter” e “super” e o segundo elemento for iniciado pela letra “r”: hiper-realismo; inter-racial; super-romântico;

  • Nas palavras cujo prefixo for “e” e “vice”: ex- marido, vice-diretor.

  • O prefixo do primeiro elemento for “pós”, “pré” e “pró”: Pós-doutorado; pró-reitoria; pós-modernismo;

Em locuções: Será empregado nas locuções com significado próprio. Exemplos: água-de-colônia; cor-de-rosa; mais-que-perfeito. Não será empregado nas locuções adjetivas, pronominais, adverbiais, prepositivas ou conjuncionais. Exemplos: dia a dia, café com leite, à vontade;

Na colocação pronominal-: Será empregado nos casos de ligação dos pronomes pessoais oblíquos aos verbos, criando assim a mesóclise e a ênclise. Exemplos: Falar-nos-ão; tornou-se;

Na divisão silábica- e translineação: Na translineação, o hífen será escrito ao final da linha, dividindo assim as sílabas restantes, que serão transferidas para a próxima linha.

Em encadeamentos vocabulares: Quando determinadas palavras se juntam em algumas situações, formando assim encadeamentos vocabulares com significados diversos, o hífen deverá ser empregado. Exemplos: rodovia Fernão-Tavares, Belém-Brasília, ponte Rio-Niterói.     

Artigos Relacionados

Colocação Pronominal

Facebook Twitter Google Plus