Mesóclise ou próclise?

Home / Gramática / Sintaxe / Mesóclise ou próclise?

Curtidas 0

0

Compartilhe

O uso da mesóclise ou da próclise se encontra submetido a fatores específicos
O uso da mesóclise ou da próclise se encontra submetido a fatores específicos

Não há como duvidar: a colocação pronominal se encontra evidenciada ente os muitos questionamentos acerca dos fatos linguísticos. Dadas as regras pré-concebidas (diversas por sinal) pela gramática, o usuário se sente meio confuso, o que gera a dificuldade de ora fazer uso de um caso, ora de outro. Mas nada que algumas dicas não atuem de forma eficaz, no sentido de deixá-lo (a) a par de todas as particularidades que norteiam a ocorrência em questão, evitando assim aqueles possíveis “tropeços” que por vezes cometemos.

Dessa forma, concretizando o intento a que se presta o artigo em pauta, algumas considerações se mostram demarcadas a seguir, enfatizando acerca do uso da mesóclise e, em alguns casos, quando essa não for conveniente, fazer a opção pelo uso da próclise. Certifiquemo-nos, portanto, tendo como subsídio o seguinte exemplo:

Na verdade os tratarei da melhor forma possível.

Trata-se de um verbo expresso no futuro do presente do modo indicativo, fato que nos remete à necessidade de fazermos uso da mesóclise. Dessa forma, retificando o enunciado, obtemos:

Na verdade tratá-los-ei da melhor possível.

O mesmo ocorreria se no enunciado o verbo estivesse expresso no futuro do pretérito, ou seja:

Na verdade tratá-los-ia da melhor forma possível.

Tudo bem, de forma indiscutível se trata de uma regra e, como tal, passível de ser seguida. Mas o que ocorre nos casos em que os verbos se encontram expressos no futuro, tanto do presente quanto do pretérito, contudo há algum termo que nos impede de colocarmos em prática tais pressupostos (o uso da mesóclise)?. Para que possamos chegar a uma conclusão, analisemos os exemplos abaixo:

Não os tratarei da melhor forma possível.

Certamente os tratarei da melhor forma possível.

É verdade que os trataria da melhor forma possível.

Nessa tríade de enunciados há, antes do pronome átono, algumas palavras atrativas, as quais são demarcadas, respectivamente, por um advérbio de negação (não); um de afirmação (certamente) e um pronome (que - nesse caso atuando como uma conjunção integrante, sintaticamente dizendo). Dessa forma, cabe ressaltar que necessariamente o uso da próclise (na qual o pronome aparece antes do verbo) se mostra como fator preponderante.

Esteja atento (a) a detalhes como esses aqui elucidados, de forma a fazer pleno uso de seus conhecimentos.

Voltar ao topo