Regência verbal e regência nominal

Home / Gramática / Sintaxe / Regência verbal e regência nominal

A regência é objeto de estudo da Sintaxe da língua portuguesa

Curtidas 0

Compartilhe

 Você sabe o que é regência verbal? E regência nominal? Se você ainda não sabe, é tempo de aprender. Entender sobre esse assunto é indispensável para quem deseja escrever adequadamente, respeitando, assim, a sintaxe da língua portuguesa. Vamos lá?

Você já deve ter percebido que, em uma oração, as palavras estabelecem relações entre si. Graças a essa relação, somos capazes de construir os sentidos da mensagem, uma vez que as palavras são interdependentes. Essa relação de complementação entre os termos da oração é chamada de regência, que pode ser verbal ou nominal. Chamamos de termo regido a palavra que depende de outra para obter sentido completo e de termo regente a palavra a que se subordina o termo regido.

Achou complicado? Parece, mas não é. Fique atento à explicação e aos exemplos que o sítio de Português preparou para você. Depois desta leitura, certamente todas as dúvidas serão esclarecidas. Bons estudos!

Regência verbal

Chamamos de regência verbal a relação que se estabelece entre os verbos e os termos que os complementam (objetos diretos e objetos indiretos) ou caracterizam (adjuntos adverbiais). Os verbos podem ser intransitivos e transitivos.

Os verbos intransitivos não exigem complemento. Isso acontece porque são verbos que fazem sentido por si só, ou seja, possuem sentido completo. Em alguns casos, eles são acompanhados por adjuntos adverbiais, elementos que não podem ser considerados como objetos. O adjunto adverbial é um termo acessório da oração cuja função é modificar um verbo, um adjetivo ou um advérbio, indicando uma circunstância (tempo, lugar, modo, intensidade etc.). Sendo um termo acessório, pode ser retirado da frase sem alterar sua estrutura sintática. Veja alguns exemplos:

Choveu muito ontem.
↓                  
                                          verbo impessoal    adjunto adverbial de intensidade e de tempo        
(intransitivo)                                  

Chegamos no voo das onze horas.
↓                       ↓
          
                verbo intransitivo           adjunto adverbial de meio e de tempo

 Verbos transitivos diretos

Chamamos de verbos transitivos aqueles que precisam de um complemento, uma vez que não possuem sentido quando sozinhos. Eles podem ser transitivos diretos e indiretos. Os transitivos diretos são acompanhados por objetos diretos e não exigem preposição para o correto estabelecimento da relação de regência. Veja os exemplos:

Quero bolo!
 ↓        ↓

verbo transitivo direto   objeto direto            

Amo aquele rapaz.
↓           ↓
       
verbo transitivo direto      objeto direto                     

Para facilitar o reconhecimento dos verbos transitivos diretos, você poderá fazer algumas perguntas para eles (quero o quê/quero quem? Amo o quê/amo quem?). As respostas serão os objetos diretos.

Verbos transitivos indiretos

Os verbos transitivos indiretos são complementados por objetos indiretos, isto é, exigem uma preposição para o estabelecimento da relação de regência. Veja:

preposição 'de' + artigo 'a' = da
       ↑

Gostamos da prova.
   ↓               ↓
verbo transitivo indireto       objeto indireto            

Outro exemplo:

preposição + artigo = às

Respondi às questões.
↓                ↓ 
verbo transitivo indireto       objeto indireto               

Você também pode fazer perguntas para o verbo para assim identificar se ele é ou não transitivo indireto (gostaram de quê/gostaram de quem? Respondeu a quê/respondeu a quem?). Note que, ao fazer a pergunta com o uso de uma preposição, o objeto responderá também com uma preposição (gostamos da prova/ respondi às questões).

Verbos transitivos diretos e indiretos

Antigamente, os verbos transitivos diretos e indiretos eram chamados de bitransitivos. Essa nomenclatura, entretanto, não é mais utilizada. São verbos acompanhados de um objeto direto e um objeto indireto. Observe:

a (preposição) + os = aos                  
                 
Agradeço
aos ouvintes a audiência.

↓                 ↓               ↓ 
verbo transitivo direto e indireto   
Objeto indireto    objeto direto ('a' é artigo)           

Quem agradece, agradece a alguém algo.

Outro exemplo:

    preposição + artigo = à
      ↑

Entreguei a flor à professora.
 ↓            ↓            ↓    
   verbo transitivo direto e indireto  
Objeto direto   objeto indireto                                

Regência nominal

Chamamos de regência nominal o nome da relação existente entre um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) e os termos regidos por esse nome. Essa relação é sempre intermediada por uma preposição. Veja alguns exemplos (vale lembrar que existem muitos outros):

Substantivos:

Admiração a/por
Devoção a/ para/ com/ por
Medo de
Respeito a/ com/ para com/ por

Adjetivos:

Necessário a
Acostumado a/com
Nocivo a
Agradável a
Equivalente a

Advérbios:

Longe de/ Perto de

Obs.: Os advérbios terminados em -mente tendem a seguir o regime dos adjetivos de que são formados:

Paralela a; paralelamente a
Relativa a; relativamente a 

Artigos Relacionados