O vocábulo só – traços peculiares

Home / Gramática / Semântica / O vocábulo só – traços peculiares

Curtidas 0

Compartilhe

Tal vocábulo ora pode ser um adjetivo, ora um advérbio

 

Ao compreendermos acerca das particularidades que norteiam as classes gramaticais, uma a que sempre fazemos referência é o fato de algumas serem passíveis de flexão e outras não. Entre as que demonstram tal aspecto estão os substantivos, adjetivos, artigos, numerais, alguns pronomes e verbos. Integrando as que não se flexionam estão os advérbios, preposições e conjunções.

Tal pressuposto nos permitirá compreender efetivamente o assunto que ora se evidencia – o fato de o termo “só” ora ser passível de flexão, ora não. Retratando o sentido de sozinho, ele ocupará a função de um adjetivo, concordando, portanto, com o termo a que se refere. Vejamos alguns exemplos:

Os garotos estão sós há um bom tempo.
Constatamos que a palavra em questão concorda com o substantivo “garotos”, o qual se encontra pluralizado.

Ele se sentia muito só.
Idem à análise anterior.

Representando a função de advérbio, denota o sentido de “apenas”, “somente”, tornando-se invariável.

Gostaria de lhe dar um abraço. (apenas lhe dar um abraço)

 Viajarei amanhã. (somente)

 Mediante tais pressupostos, vale ressaltar acerca de mais uma particularidade: o fato de o advérbio “só” possuir valor restritivo, razão pela qual a posição em que ele se encontra disposto na oração representa um aspecto de grande significância. Sendo assim, analisemos:

Os garotos, amanhã, só treinarão. (não jogarão oficialmente)
Os garotos jogarão só amanhã. (e não hoje)


Por meio dos exemplos, há que se constatar que as diferentes posições assumidas pelo termo em referência (uma vez considerado como um advérbio impróprio ou uma palavra denotativa de exclusão) evidenciam o termo que por ele é modificado. Dessa forma, concluímos que no primeiro enunciado ele modifica o verbo (só treinarão, mas não realizarão outro procedimento); já no segundo modifica o advérbio (só amanhã, não outro dia).

Essas afirmações, uma vez elencadas, capacita-nos a construir discursos bem elaborados, claros e precisos, abstendo-os de quaisquer traços de ambiguidade, tendo em vista o contexto em que uma determinada palavra foi empregada (não somente essa, objeto de nosso estudo, mas também tantas outras).

Voltar ao topo