Dicas de redação: construindo o período

Home / Redação / Redação no Enem e em concursos / Dicas de redação: construindo o período

Escrever um período curto e objetivo está entre as principais dicas para quem quer escrever um texto livre de ambiguidades

Curtidas 0

0

Compartilhe

Você sabe o que é o período?

Chamamos de período a frase organizada em oração ou orações. O período pode ser:

simples, quando constituído de uma só oração;

composto, quando constituído de duas ou mais orações.

Quando o período for composto, ele poderá ser:

composto por coordenação;

composto por subordinação;

composto por coordenação e por subordinação.

Essa é a definição e a natureza sintática do período. Contudo, muita gente ainda não sabe a diferença que ele pode fazer na construção de sentidos do texto e acaba descuidando de sua duração. É preciso ficar atento na hora de escrever, pois a palavra escrita não dispõe dos recursos disponíveis na oralidade, entre eles a entonação e até mesmo as expressões faciais do falante. Se você nunca sabe como construir um período que tenha a duração adequada, fique atento às dicas de redação que o sítio de Português traz agora para você e elimine de uma vez por toda suas dúvidas. Vamos lá?

Dicas de redação: construindo o período

► A compreensão de um texto depende dos conhecimentos linguísticos e extralinguísticos do leitor e do autor. Para que o leitor aproveite ao máximo as informações nele disponibilizadas, é essencial que elementos como a coerência e a coesão sejam contemplados por aquele que escreve, caso contrário, o texto torna-se ininteligível. Entre os fatores linguísticos que podem dificultar a compreensão de um texto, estão as estruturas sintáticas complexas, ou seja, os períodos longos. Esse tipo de construção geralmente deixa o leitor perdido em meio a tantas ideias, e por isso deve ser evitado;

O período deve conter um pensamento completo, isto é, deve fazer sentido, mesmo que esteja se relacionando com períodos anteriores ou ampliando os sentidos desses. Apresentar um pensamento completo não significa que o período deve ser longo, ainda que a ideia seja complexa. Opte por construções simples e curtas, mas que não abram mão de informações necessárias para a sua compreensão;

É preciso considerar que a construção de períodos está intimamente relacionada com o estilo de escrita do autor. Algumas pessoas são naturalmente prolixas, enquanto outras prezam pela concisão vocabular, conseguindo transmitir por meio de poucas palavras até mesmo raciocínios mais complexos. Nos textos não literários, é importante que você opte por construções sintáticas simples, pois neles a comunicação deve acontecer da maneira mais clara e objetiva possível. Até na literatura, arte que não possui compromisso com a objetividade, houve quem optasse pelos períodos curtos sem que isso prejudicasse a linguagem literária. Observe o exemplo no fragmento da crônica Para Maria da Graça, do escritor Paulo Mendes Campos:

(...) Os milagres sempre acontecem na vida de cada um e na vida de todos. Mas, ao contrário do que se pensa, os melhores e mais fundos milagres não acontecem de repente, mas devagar, muito devagar. Quero dizer o seguinte: a palavra depressão cairá de moda mais cedo ou mais tarde. Como talvez seja mais tarde, prepara-te para a visita do monstro, e não te desesperes ao triste pensamento de Alice: “Devo estar diminuindo de novo”. Em algum lugar há cogumelos que nos fazem crescer novamente (...)”.

Períodos longos são armadilhas para a coerência e a coesão de seu texto. Excesso de informações em um único período pode resultar em falta de clareza e ambiguidade, falhas que comprometem o entendimento dos textos não literários. Além disso, os períodos curtos diminuem consideravelmente o risco de possíveis problemas com conjunções, vírgulas e concordâncias. Observe algumas dicas simples que você deverá seguir para construir um período cuja duração seja adequada:

Evite o uso de artigos indefinidos e de pronomes possessivos, pois os primeiros tornam o substantivo vago e os segundos podem deixar a frase ambígua, pois “seu” e “sua” podem se referir a ele (de quem se fala) ou a você;

Opte por substituir os pronomes demonstrativos por artigos. Isso deixará sua frase mais leve:

Aqueles funcionários foram ao departamento financeiro para solicitar o desligamento da empresa = Os funcionários foram ao departamento financeiro para solicitar o desligamento da empresa.

Evite empregar pronomes indefinidos: geralmente a exclusão desses elementos não causa prejuízo para o entendimento da frase. Como o próprio nome diz, pronomes indefinidos podem levar o leitor a generalizar informações e podem exigir que você, posteriormente, determine o que foi dito, ou seja, são inimigos da concisão vocabular.

Artigos Relacionados